A difícil arte de liderar

17 09 2007

Pode falar o que quiser. Não existe algo mais complexo do que você gerenciar pessoas. As possibilidades de acontecimentos são tantas que não dá pra se preparar nem ter resposta pra tudo que um líder vai presenciar em sua vã existência.

Mas aí você pergunta: “Mas o que eu faço pra não entrar em colapso toda vez que um problema alien (de outro mundo) aparece pra eu resolver?”. Calma que eu vou te explicar, pequeno gafanhoto! 🙂

Primeiro você tem que entender a sua nova realidade de lider. Você está vivendo uma nova realidade em que deverá quebrar alguns paradigmas profissionais. Pessoas dependem de você. Negócios dependem de você. Você tem que esperar por qualquer coisa, a qualquer hora, de qualquer jeito. E aí está a grande dificuldade da liderança.

Uma coisa é se preparar para um vestibular, um exame qualquer, ou até pra uma bronca da patroa por ter ido naquele bar com os amigos. Nesses casos, apesar das variáveis, você sabe o que te espera e o que você tem que fazer para tornar cada um dos desafios mais fáceis (no caso, estudar para o vestibular e para os exames, e um buquê de flores com uma bela caixa de chocolates). Agora como líder, não sabendo o que terá que enfrentar, como se preparar?

Não existe receita de bolo. Se você continuou lendo este post pensando encontrar uma solução mágica para o problema, esqueça! Mas o que vou passar agora pode ajudar muito pessoas que acabaram de ganhar um cargo de liderança e estão um pouco inseguras. Para estas pessoas eu digo:

  • Seja um eterno estudante. Você nunca saberá tudo o que precisa. Estude, leia, crie a sua cultura do aprendizado contínuo.
  • Seja humilde. Saiba pedir ajuda quando precisar. Não seja orgulhoso a ponto de colocar sua credibilidade em jogo.
  • Saiba errar. Você é humano, e por mais estranho que pareça, humanos erram! Saiba reconhecer seus erros e aprender com eles. Como eu disse no meu post anterior, erros sempre geram boas oportunidades. Só não faça do erro sua rotina!
  • Nunca se conforme. Se algo que fez não o agradou, ou se viu algo que acha que pode ser melhor, não morra no pensamento. Nunca perca uma boa oportunidade por omissão.
  • Crie um círculo de confiança. Saiba em quem você pode confiar e em quem não pode. Sozinho você não chegará a lugar algum.
  • Invista em sua equipe. Identifique seus potenciais gênios e invista neles. Treine. Delegue. Aconselhe. Motive. Cultive pessoas que morram por você!
  • Preserve sua imagem. Seu caráter é tudo. Seja sempre honesto, transparente e prestativo. E lembre-se: a primeira impressão é sempre a mais importante.
  • Invista no que dá retorno. Não adianta querer atender a todos com toda a atenção possível. Fazer isso é pedir pra fracassar. Identifique seus clientes inovadores, com idéias que realmente agregam a você e a empresa. Esses clientes que te levarão pra cima!
  • Invista no “Agora”. Não cultive a procrastinação em sua gestão. Não espere sempre o melhor momento pra fazer algo. Ação é a palavra que todos os gerentes adoram. Saiba operacionalizar suas idéias.
  • Ouse. Seja ousado nas suas idéias. Não pense pequeno. Pense como um empreendedor. Pense como se a empresa fosse sua!

Bom, essas são algumas dicas que, com minha vivência, consegui identificar. Tenho certeza que tem muita coisa que deixei de citar, mas isso não é um manual e sim um pequeno post de dicas de como se dar bem numa posição que vira-e-mexe te deixa em posições desconfortáveis! Boa sorte a quem está ingressando neste mercado e parabéns para aqueles que sobreviveram pra contar a história!





O Erro e seus desdobramentos

16 09 2007

Lendo este artigo da Gisela Kassoy no site QIdeia lembrei de duas coisas relacionadas a erros que quero aproveitar pra compartilhar aqui.

O artigo que citei é muito objetivo, sucinto, e interessante. Ajuda muito a desmistificar esse elemento do nosso cotidiano: o erro. Sempre enxerguei erros como oportunidades de mostrar minha postura e experiência para a solução. Com o tempo, lapidei melhor esse pensamento, que descrevo abaixo.

Hoje vejo os erros como uma ferramenta de avaliação de meus funcionários. E explico. Frente à um problema, geralmente causado por você mesmo, tende-se a ter o comportamento de buscar a solução o mais rápido possível, com pouca deliberação sobre o mesmo. E esses são os momentos que você enxerga a verdadeira face das pessoas, podendo identificar quem realmente quer resolver o problema conseqüente do erro e quem só quer se livrar do mesmo o mais rápido possível. Isso fica bem claro na maioria das vezes que um erro ocorre e uma solução rápida precisa ser tomada.

Claro que o contexto acima é para um líder, um gestor de uma determinada equipe. Numa visão mais individual, o erro também sempre trás boas oportunidades de “vender seu peixe”, pois dependendo do porte do problema, algum cacique pode estar avaliando sua performance frente a adversidade. Assim, um grande problema pode, num cenário perfeito, acabar com algo muito positivo.

A verdade é uma só: erros e problemas são rojões que ninguém quer segurar. Porém, sob um olhar mais criterioso, são momentos únicos que se bem avaliados e aproveitados podem dar resultados inesperados e bem vindos!